Notícias 
Campanha fique sabendo mostrou aumento preocupante de casos de sífilis em Severínia - Notícias - Portal Prefeitura Municipal de Severínia-SP
 Saúde 
Campanha fique sabendo mostrou aumento preocupante de casos de sífilis em Severínia
09/12/2014
  • 0
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19

Os dados vieram de testes rápidos feitos durante toda a semana através da campanha "Fique Sabendo. Tire o peso da dúvida", que colheu amostras de sangue de cidadãos que aderiram voluntariamente a campanha em postos itinerantes de atendimento montados em vários pontos da cidade.

Além dos testes rápidos para HIV e sífilis a Secretaria Municipal de Saúde ampliou a ação coletando também material para testes de tuberculose.

Fez ainda campanhas de conscientização sobre a Dengue e chikungunya e para a importância da saúde bucal.  

O trabalho iniciado no dia 1º de Dezembro, Dia Mundial da Luta contra a AIDS foi encerrado no dia 06, com grande mobilização no período da tarde na Praça São Francisco, reunindo diversos profissionais da saúde.

Pra quebrar o clima e animar quem passava por lá foi feito um show de pagode ao vivo.

A enfermeira Guacira Gibeli, responsável pelo planejamento e coordenação do evento fez uma análise preliminar da campanha. " Fizemos mais de duzentas coletas e atingimos nosso objetivo de chamar a atenção para o tema. O que mais nos chamou atenção nesse primeiro momento é o aumento significativo de pessoas infectadas pela sífilis, isso porque além de ser uma doença perigosa, mostra que as pessoas não estão se protegendo e isso dentro de um quadro aonde temos 19 soros positivos HIV confirmados na cidade, fora os que não sabemos, cria uma situação propícia para a transmissão da AIDS", ressaltou. "Ainda não temos todos os dados da campanha, mas assim que tiver, vamos nos debruçar sobre eles para elaborarmos nosso plano de trabalho", finalizou.

Apesar da campanha já ter terminado, os testes continuam a ser realizados no Posto de Saúde Municipal.

Sífilis, ou lues, é uma doença infectocontagiosa, sexualmente transmissível, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode também ser transmitida verticalmente, da mãe para o feto, por transfusão de sangue ou por contato direto com sangue contaminado. Se não for tratada precocemente, pode comprometer vários órgãos como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso.

O período de incubação, em média, é de três semanas, mas pode variar de 10 a 90 dias.

A enfermidade se manifesta em três estágios diferentes: sífilis primária, secundária e terciária. Nos dois primeiros, os sintomas são mais evidentes e o risco de transmissão é maior. Depois, há um período praticamente assintomático, em que a bactéria fica latente no organismo, mas a doença retorna com agressividade acompanhada de complicações graves, causando cegueira, paralisia, doença cardíaca, transtornos mentais e até a morte.

Sintomas

1)     sífilis primária – pequenas feridas nos órgãos genitais (cancro duro) que desaparecem espontaneamente e não deixam cicatrizes; gânglios aumentados e ínguas na região das virilhas;

2)     sífilis secundária – manchas vermelhas na pele, na mucosa da boca, nas palmas das mãos e plantas dos pés; febre; dor de cabeça; mal-estar; inapetência; linfonodos espalhados pelo corpo, manifestações que também podem regredir sem tratamento, embora a doença continue ativa no organismo;

3)     sífilis terciária – comprometimento do sistema nervoso central, do sistema cardiovascular com inflamação da aorta, lesões na pele e nos ossos.

A sífilis congênita pode causar má formação do feto, aborto espontâneo e morte fetal. na maioria das vezes, porém, os seguintes sintomas aparecem nos primeiros meses de vida: pneumonia, feridas no corpo, alterações nos ossos e no desenvolvimento mental e  cegueira.

Diagnóstico

Nas fases iniciais, o diagnóstico pode ser confirmado pela reconhecimento da bactéria no exame de sangue ou nas amostras de material retiradas das lesões. Na fase avançada, é necessário pedir um exame de líquor para verificar se o sistema nervoso não foi afetado.

Transmissão

A  sífilis é transmitida por meio das relações sexuais desprotegidas, das transfusões de sangue e da mãe para o filho em qualquer fase da gestação ou no momento do parto (sífilis congênita).

Tratamento

O tratamento é feito com antibióticos, especialmente penicilina. Deve ser acompanhado com exames clínicos e laboratoriais para avaliar a evolução da doença e estendido aos parceiros sexuais.

Prevenção

O uso de preservativos durante as relações sexuais é a maneira mais segura de prevenir a doença.

Recomendações

* Use camisinha em todas as relações sexuais. Essa é a maneira mais segura de prevenir a doença;

* Esteja atento: sífilis pode ser transmitida também nas relações anais e orais;

* Mulheres devem fazer exame para verificar se são portadoras da doença antes de engravidar.

Mais Notícias
19/04/2017  Educação 
Projeto - Arte na Escola
19/04/2017  Obras 
Solução do problema na rua Salomão Galib Tannuri
17/04/2017  Prefeito 
Comemoração ao Dia da Páscoa
11/04/2017  Saúde 
COMUNICADO Vigilância Sanitária
11/04/2017  Saúde 
Ação Solidária arrecada mais de 2 toneladas de alimentos para as Santas Casas da Região